O OUTRO LADO -Belo Monte e o Lider indigena Megaron Txukarramãe

Carta manifesto do cacique Megaron Txukarramãe contra a construção da

Usina Hidrelétrica de Belo Monte.

 

Comunicado

 

Nós lideranças e guerreiros estamos aqui em nosso movimento e vamos continuar com a paralisação da balsa pela travessia do rio Xingu.

Enquanto Luiz Inacio Lula da Silva insistir de construir a barragem de Belo Monte nós vamos continuar aqui.

Nós ficamos com raiva de ouvir Lula falar que vai construir Belo Monte de qualquer jeito, nem que seja pela força!!!

Agora Nos índios e o povo que votamos em Lula estamos sabendo quem essa pessoa.

Nós não somos bandidos, nós não somos traficantes para sermos tratados assim, o que nós queremos é a não construção da barragem de Belo Monte.

Aqui nós não temos armas para enfrentar a força, se Lula fizer isso ele quer acabar com nós como vem demonstrando, mas o mundo inteiro vai poder saber que nós podemos morrer, mais lutando pelo nosso direito. Estamos diante de um Governo que cada dia que passa se demonstram contra nós índios.

Lula tem demonstrado ser inimigo número um dos índios e Marcio Meira o atual Presidente da Funai tem demostrado a ser segunda pessoa no Brasil contra os índios, pois, a Funai não tem tratado mais assuntos indígenas, não demarcação de terra indígena mais, não tem fiscalização de terra indígena mais, não tem aviventação em terra indígena.

Os nossos líderes indígenas são impedido de entrarem dentro do prédio da funai em Brasília pela força nacional.

O que esta acontecendo com nós índios é um fato de grande abandono, pois, nós índios que somos os primeiros habitantes deste pais estamos sendo esquecidos pelo Governo de Lula que quer a nossa destruição, é esta a conclusão que chegamos.

 

Lider indigena Megaron Txukarramãe

 

Aldeia Piaraçu, 26 de abril de 2010

 

Carta para imprensa

Anúncios

O OUTRO LADO – ECONOMIA da VIDA e a ECONOMIA BRASILEIRA

Fonte:  http://josiasdesouza.folha.blog.uol.com.br/arch2010-02-01_2010-02-28.html#2010_02-11_04_10_32-10045644-0

Começa em 17 de fevereiro, Quarta-feira de Cinzas, a Campanha da Fraternidade de 2010.

Levará a 50 mil comunidades cristãs de todo país, uma mensagem em tom de crítica à política econômica adotada sob Lula.

O tema da campanha será “Economia e Vida”. O lema foi extraído de um versículo bíblico: “Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro” (Mt 6,24).

O texto-base inclui críticas à crescente dívida interna do país, às altas taxas de juros, à elevada carga tributária, ao sistema financeiro internacional e até ao PAC.

Repetindo modelo que havia sido adotado em 2000 e 2005, a campanha de 2010 terá um caráter ecumênico.

Participam, além da Igreja Católica, representada pela CNBB, outras quatro denominações religiosas:

1. Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil.

2. Igreja Episcopal Anglicana do Brasil.

3. Igreja Presbiteriana Unida do Brasil.

4. Igreja Sírian Ortodoxa de Antioquia.

Estão reunidas sob o guarda-chuva do Conic (Conselho Nacional das Igrejas Cristãs do Brasil).

No trecho dedicado à divida interna, o texto da campanha anota, por exemplo:

“Apesar dos gastos com juros e amortizações da dívida pública consumirem mais de 30% dos recursos orçamentários do país, essas dívidas não param de crescer”.

Com textos e gráficos, o material do evento propõe a conscientização sobre alguns temas econômicos que são pouco conhecidos por grande parte da população.

O documento sustenta a tese de que a dívida limita a capacidade do governo de destinar verbas aos investimentos sociais.

A campanha será deliberadamente associada às eleições de 2010. Deseja-se levar as comunicades cristãs a refletir sobre a necessideade de cobrar mudanças.

Ouça-se o que diz o secretário-geral do Conic, Luiz Alberto Barbosa, um reverendo da Igreja Anglicana:

“Escutamos o discurso oficial de que o país caminha para ser a quinta economia do mundo. Mas é preciso perguntar…:”

“…Se o cenário é tão bom, onde estão os recursos? Ainda temos quase 40 milhões de pessoas abaixo da linha de pobreza e não há trabalho e saúde para todos”.

Referências à perspectiva de o Brasil se tornar a quinta economia do mundo foram feitas em discursos e entrevistas de Dilma Rousseff, a presidenciável oficial.

O frade católico Carlos Josaphat, da ordem dos dominicanos, acrescenta que um dos objetivos da campanha é estimular os cristãos a abandonar a passividade.

Deseja-se, segundo ele, combater a omissão da comunidade religiosa em relação ao que chama de uso perverso das ferramentas da economia.

A Campanha da Fraternidade vai durar até 28 de março, o Domingo de Ramos.

Só o que agrega valor – NOVO CAFÉ ACADÊMICO de MARÇO de 2010.

O JEFF é um camarada que faz muita coisa bacana.

AGENDE-SE e CONFIRA:

Pode? A contribuição de Malafaia para o Evangelho da Prosperidade.

Assista ao Vídeo com atenção!

Veja a matéria toda sobre o Malafaia no ótimo PÚLPITO CRISTÃO – http://ow.ly/16jrCe

Se na sua igreja as mensagens são parecidas…., suma de lá enquanto há tempo.

Um lugar para Cantar.

UM GRITO DE LIBERDADE

 

Quero voltar a Cantar!

 

 

“Porque tu tens sido o meu auxílio, canto nas sombras das tuas asas.”

Rei e Poeta Davi

 

Lendo o salmo 63 eu resolvi pedir como Davi: Quero estar debaixo das asas de Deus para poder cantar de alegria.

Há momentos em que o coração e a mente são assolados por pensamentos e sentimentos depreciativos, instantes em que simplesmente não dá pra ser feliz e terminamos casados com a tristeza.

Veladas ou escancaradas, as humilhações, os desdéns e os sarcasmos nos libertam deste maldito valor que damos à nossa imagem e reputação, mas eu como qualquer humano confesso, ainda sofro quando elas são arranhadas.

Às favas com as minhas cobranças e exigências pessoais, chega de tanta severidade comigo mesmo, pois o que eu procuro é um lugar para cantar.

Não suporto mais os ruídos de minha alma, ninguém consegue cantar em meio a tanto barulho provocado pelas culpas e ansiedades.

Há muita gente impedindo que eu cante, até parece que eu estou condenado a nunca mais cantar.

Mas não importa, o que eu mais quero é cantar, e cantar pra valer.

E para cantar eu preciso de silencio e casa vazia e, acima de tudo, não deixar que o cansaço me faça desanimar.

Então, o Neruda mais uma vez estava com a razão.

 

 

A PROCURA

Por Pablo Neruda

 

O bom louco do Nietzsche dizia

Na casa cheia deixa de cantar

Porém canta e canta na casa vazia

– a tua voz um grito desfeito no mar –

 

Canta no silencio o teu canto primeiro,

Lança no silencio a canção que findou,

De frente ao milagre desta primavera

Que enche de flores a aldeia interior.

 

Era isso o que o louco do Nietzsche dizia

E sigo à procura da casa vazia

Pensante e vibrante como um coração.

 

Sinto que já me canso de procurar em vão,

Não encontram meus olhos, meus pés, minhas mãos,

A casa em que devo cantar a canção.  

IL DIVO – O poder do Amor

O que eu leria para o meu pai no dia dos pais.

Camaradas,

 

Hoje eu acordei antes do sol e tive um tempo em segredo e secreto com o meu Pai.

Conversamos sobre o que o meu irmão mais Velho falou e o Evangelista Mateus registrou em seu evangelho dos capítulos 5 a 7.

Conversa boa, amorosa e firme, mas isso é um assunto entre mim e meu Pai.

Rediscutimos o SER, FAZER e TER, imaginem só…., o papo foi longe.

Terminei lembrando-me do meu querido Zezinho que não está mais aqui entre nós brincando, sorrindo e ………

Então eu escrevi algo que eu leria para ele hoje.

Parece simples, e de fato o é, mas eu bem sei o peso que cada palavra leva.

Forte abraço a todos e FELIZ DIA DOS PAIS!

Na jornada,

 O que eu escrevi e leria ao meu pai no dia dos pais.

Por Levi Araújo

 

Quero sempre querer

Ser igual a você

Sem jamais esquecer

Que perfeição é só com o Pai celestial.

 

Quero sempre querer

Poder contar com você

Sem recompensa receber.

Fazer coisas boas e que isso fique só entre nós.

 

Quero sempre querer

Ter um tempo só com você.

Para aprender com o seu jeito de ser e fazer.

 

Quero sempre querer

Saber o que é viver com você

E o que vale ou não a pena ter, ser e fazer.