O OUTRO LADO – Kaká versus JUCA ATEU

Anúncios

Saudades do Céu

http://www.youtube.com/watch?v=iEA_7NO3OdM]

Hoje eu acordei com saudades do céu.

Certamente que falar do céu, além de polêmico, é um tema mais adequado para aqueles que vivem com os pés rachados pela jornada da vida e marcados pela saga humana.

O céu não é assunto bom para se fugir da realidade.

O céu do Reino dos Céus virou o melhor discurso para os alienados, mas não há nada mais triste do que um ativista consciente SEM CÉU.

Que triste ver e ouvir um camarada de céu vivendo como um SEM CÉU.

Eu não sou daqui e os meus valores também não, e estou na jornada anunciando que o Reino chegou e o Rei está em nós e entre nós.

Do lado de cá do rio eu paro um pouco com saudades da outra margem que nunca pisei.

Do lado de cá do rio eu me permito parar e cantar Céu lindo Céu.

O que faz você VIVER?

 

O que me faz viver?

Bem, você quer dizer a RAZÃO DO MEU VIVER? é ISSO?

 

 

Raquel de Queiroz, a conselheira espiritual de Saramago

*

 raquel de queiroz by kim

“Cuide bem de sua fé, faça tudo para a sua fé render…”

Raquel de Queiroz         

Pela terceira vez e com muita emoção eu assisti pela teve câmara uma produção linda com uma entrevista com Raquel de Queiroz a primeira mulher a entrar na Academia Brasileira de Letras.

Fui surpreendido ao ouvir aquela cearense magnífica falar com naturalidade que não gosta de escrever e que era melhor cozinheira do que escritora e afirmar com autonomia e nenhuma preocupação em ser politicamente correta sobre o feminismo e as mulheres.

Mas o que mais me encantou naquela comunista atéia foi o momento em que ela começou a falar sobre Fé.

Sendo um exemplo para o outro não mais extraordinário José Saramago – um dos meus favoritos -, que destila regularmente a sua deselegância e pedantismo quando o tema é espiritualidade.

Que me lembre, Saramago diminuiu a sua agressividade contra os crentes e crenças em um artigo interessante de 2001, naquele texto ele fez muito bem a diferença entre Deus e o “Fator Deus”, disse muito bem que “Não é um deus, mas o “fator Deus” o que se exibe nas notas de dólar e se mostra nos cartazes que pedem para a América (a dos Estados Unidos, não a outra…) a bênção divina. E foi o “fator Deus” em que o deus islâmico se transformou, que atirou contra as torres do World Trade Center os aviões da revolta contra os desprezos e da vingança contra as humilhações.”

Estou certo que ao exemplo de Graciliano Ramos, Saramago aprenderia muito com a nossa Raquel.

Na entrevista ela disse que “nunca escreveu nada contra a religião” e afirmou não ter fé e que não tinha nenhum orgulho disso, e disse mais: “Quem não tem fé é uma pessoa infeliz”.

A nossa doce incrédula termina dizendo que esperava que Deus um dia lhe mandasse a fé e é isso que me faz crer que ela expurgaria um pouco do fel do nosso Nobel.

É fato que a frase que abre as minhas modestas linhas de hoje está sendo interpretada da pior maneira por aqueles que dizem que tem muita fé, no caso da maioria dessas pessoas, eles não querem fazer render a sua fé, eles usam a fé para fazer render lucro, prestigio e status.

E é esse contexto que repugna e justifica toda sorte de corrupção e opressão que municia aqueles que tentam fugir ou resistir espiritualidades, religiosidades, crenças ou crendices. 

Esse lado que fede na fé de toda a fé é algo que deve sempre ser denunciado, principalmente diante dos crimes contra os direitos humanos, mas que o façamos sem desrespeitar as pessoas e as suas convicções, até porque, não há nenhum espaço de reflexão e atuação humana que fique fora das rendas do mal e das podridões de caráter.

O Professor Richard Dawkins em PARATI – 2009

FINEZA CONFERIR!

Vale a pena! Aproveite para fortalecer as suas convicções ou deixar de crer……errado, é claro.

 

http://www.youtube.com/watch?v=vFG8ZumqKQU

http://www.youtube.com/watch?v=K6kYABByn_M

http://www.youtube.com/watch?v=on2ZCvLJexg